Radiação solar: Perigos que a exposição excessiva ao sol traz a saúde

Escrito por: -

Radiação SolarVocê adora se bronzear e não se importa em ficar ardendo e vermelha como um pimentão, desde que em alguns dias essa “queimadura” se transforme em bronzeado? Se esse é seu caso, está na hora de repensar essa atitude. Saiba que o que ocorre é realmente uma queimadura e em alguns casos as consequências podem ser bem desagradáveis.

Há alguns anos, a camada de ozônio filtrava a maioria dos raios nocivos à saúde. As pessoas não usavam filtros solares e as consequências da exposição excessiva ao sol eram as queimaduras, ardências e a pele descascada. Hoje em dia, com a destruição desta camada há um mal ainda mais perigoso, o câncer de pele.

As opções de filtros solares são muitas e os óculos devem oferecer proteção total contra os raios ultra-violetas. Chapéus, bonés e boinas não são apenas enfeites. Vale até sair de sombrinha e usar lenços. Mas se você não abre mão do bronzeado, vale a pena experimentar os cremes e sprays auto-bronzeadores. Proteger-se quando se expuser ao ar livre deve ser um hábito diário.

No Brasil, o câncer mais comum é o de pele, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores diagnosticados. A radiação ultra-violeta natural, proveniente do sol, é o principal responsável. De acordo com o comprimento de onda, os raios ultra-violetas (raios UV) são classificados em raios UV-C, UV-A (320-400nm) e UV-B (280-320nm). Com a destruição da camada de ozônio, os raios UV-B, que estão relacionados ao surgimento do câncer de pele, vêm aumentando sua incidência sobre a terra. Da mesma forma, tem ocorrido um aumento da incidência dos raios UV-C, potencialmente mais carcinogênicos que os UVB.

Já os raios UV-A independem desta camada, e causam câncer de pele em quem se expõe a eles em horários de alta incidência ao longo de muitos anos. As pessoas de pele clara são as que apresentam maior risco e como representam mais de 50% da população brasileira e se expõem ao sol muito e descuidadamente, seja por trabalho ou por lazer, e como o país situa-se geograficamente numa zona de alta incidência de raios ultra-violeta, seria previsível a alta ocorrência do câncer de pele entre nós.

Como se Proteger
A única forma de prevenção é não se expôr ao sol sem proteção e evitar a exposição em horários em que os raios ultravioleta são mais intensos, ou seja, das 10 às 16 horas.É preciso usar chapéus, guarda-sóis, óculos escuros (com fator de proteção) inclusive as crianças e filtros solares durante atividades ao ar livre, principalmente as esportivas quando há maior perspiração e desidratação corpórea. A neve (não é o caso do Brasil), a areia branca e as superfícies claras refletem os raios solares.

Filtros Solares
Os filtros solares são preparações para uso tópico que reduzem os efeitos deletérios da radiação ultravioleta. Pessoas de pele muito clara devem usar filtro com FPS de 30 ou mais. Já as mais morenas podem utilizar a partir do fator 15. Fique atento, pois nem todos os filtros solares oferecem proteção completa para os raios UV-B e UV-A.

O uso do filtro solar não tem como objetivo permitir o aumento do tempo de exposição ao sol, nem estimular o bronzeamento. É importante lembrar que o real fator de proteção varia com a espessura da camada de creme aplicada, a freqüência da aplicação, a transpiração e a exposição à água. devem ser aplicados antes da exposição ao sol e reaplicados após nadar, suar e se secar com toalhas.

Por fim, considerando-se que os danos provocados pelo abuso de exposição solar é cumulativo, é importante que cuidados especiais sejam tomados desde a infância mais precoce.

Fonte: INCa

Votar no artigo:
Nenhum voto. Seja você o primeiro!