Shorts polêmicos das frentistas de posto de gasolina

Escrito por: -

shorts

O novo projeto de lei da deputada do Rio de Janeiro Inês Pandeló visa proibir a exibição do corpo de funcionários, no caso mais especifico mulheres, claro. A deputada afirma que os Postos de Gasolina e estabelecimentos comerciais de modo geral, impõem às mulheres expor o corpo como forma de atrair a clientela. Para uma clientela masculina, o shortinho, muito mais que um uniforme, é um apelo para o imaginário erótico.

“Vários estabelecimentos, principalmente postos de gasolinas, impõem o uso desses uniformes com o único objetivo de expor o corpo da mulher e, com isso, conseguir maior clientela. A aprovação desta norma (…) é um passo importante no combate a esta mercantilização do corpo feminino”, explicou a deputada que prevê multa de R$1.930 por funcionário aos estabelecimentos que exigirem o uso desse tipo de uniforme.

Mas se depender da opinião do governador Sergio Cabral, nada será feito. “Eu acho que isso não é assunto de governo. É intromissão demais na vida dos outros!!”, respondeu Cabral.

Dessa maneira, frentistas, independente do gênero, devem usar uniformes compridos para evitar o contato da pele com produtos tóxicos ou, isso para mulheres é irrelevante? Nesse tipo de emprego ficam só as que não se importam com as cantadas?

Fonte e Foto: Mulher 7 por 7

Votar no artigo:
Nenhum voto. Seja você o primeiro!