Cirurgia plástica íntima feminina: necessidade ou capricho estético?

Escrito por: -

A intensa procura por cirurgias plásticas estéticas é a maior prova de que as pessoas gostam de serem vistas sempre belas. Mas, às vezes, essa busca é exagerada e muitas mulheres chegam ao cúmulo de fazer de uma só vez, vários procedimentos cirúrgicos estéticos.

Um tipo de cirurgia estética que vem aumentando no Brasil e que preocupa ginecologistas - como grandes mídias têm noticiado - é a cirurgia plástica íntima feminina, que consiste em deixar a genitália feminina com aparência diferente, na verdade “mais bonita” na opinião de quem procura esse tipo de cirurgia, segundo afirmou minha médica ginecologista (que preferiu não se identificar) especialmente para contar a vocês.

Mas faço a pergunta: - Será que o que é mais bonito para a mulher que deseja se submeter à cirurgia plástica íntima, também é mais bonito para as outras pessoas, sobretudo para seus parceiros? Acredito que não.

A anatomia do corpo da mulher não é igual em todas elas. Algumas têm os pequenos lábios maiores que os grandes lábios, então, os primeiros ficam “saindo” para fora, se sobrepondo aos grandes lábios (a imagem acima ilustra os Lábios vaginais). Esse “excesso de pele” não é necessariamente feio, apenas diferente e não é tão incomum assim e tem até nome “hipertrofia dos pequenos lábios vaginais” e já tratamos desse assunto aqui.

Minha ginecologista ainda disse que nunca encoraja uma cirurgia, mas que sabe de outros médicos que, infelizmente, veem nisso mais uma forma de comércio, e realizam cirurgia plástica íntima, inclusive, em quem - definitivamente - não precisa. Ela mesma já fez várias dessas cirurgias e, no momento em que começa o procedimento, o médico assistente diz: “- Não sei por que tanta neura, não estou vendo nada de errado com essa anatomia”.

Tipos de cirurgia plástica íntima
- Para corrigir Grandes Lábios e/ou os Pequenos Lábios
- Murchamento vaginal (comum em pessoas idosas)
- Monte de Vênus com maior volume
- Mucosa vaginal escurecida por problemas hormonais
- Em casos de alargamento vaginal devido a partos normais (este talvez seja o único caso que não é considerado um problema puramente estético, já que pode interferir nas relações íntimas com seus parceiros).

Quando é recomendado fazer a cirurgia plástica íntima?
Às vezes a mulher pode ter muita vergonha de seu corpo a ponto de não se olhar mais, nem deixar seu parceiro a tocar, e o efeito psicológico pode ser devastador. Mas, ainda assim, eu, como profissional de saúde que sou, acredito que valha a pena buscar ajuda psicológica e ouvir a opinião de pelo menos 3 ginecologistas antes de realizar a cirurgia na genitália. Algumas sessões de psicoterapia podem ajudar a mulher a se aceitar como é. Nunca devemos nos esquecer que todo procedimento cirúrgico envolve riscos, portanto, o melhor é se submeter a eles apenas quando necessário.

É recomendável fazer a cirurgia plástica íntima quando a anatomia muito diferente causa algum tipo de problema de saúde, como frequentes reações alérgicas de contato (com papel higiênico, calcinhas e outros tipos de atritos). A higienização também pode ficar comprometida já que com mais pele, há também mais reentrâncias.

Em todos os casos, o melhor a fazer é a mulher avaliar juntamente com seu médico ginecologista, com pessoas em quem você confia, além de seu parceiro - que pode gostar de você assim mesmo - a real necessidade de realizar uma cirurgia plástica íntima, que como o nome já diz, é uma “cirurgia” como outra qualquer.

Artigos relacionados:
- ‘Cameltoe’ causa constrangimento
- Hipertrofia dos pequenos lábios,
- A cor do sexo que mais atrai os homens.

Redação: Renata Fraia - Farmacêutica e Jornalista DasMarias
Foto: Reprodução/Arquivo DasMarias

Votar no artigo:
Nenhum voto. Seja você o primeiro!